terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Curso de Boas Práticas de Manipulação de Alimentos

Olá!!!

Vim trazer uma novidade para vocês... Estou ministrando cursos de Boas Práticas para Manipuladores de Alimentos. Os cursos são ministrados nas empresas contratantes e visam atender necessidades específicas de cada uma. O projeto surgiu com o aumento da procura pelos cursos na cidade, já que aqui em Foz do Iguaçu as palestras não são mais ministradas pela Vigilância Sanitária.


A duração das palestras e os temas abordados variam de acordo com o público, mas a base são as boas práticas.

Todas as empresas fabricantes e manipuladora de alimentos devem oferecer treinamentos rotineiros a seus funcionários, a fim de manter e melhorar a qualidade dos alimentos produzidos.

Caso haja interesse, entrar em contato pelo email: karinaferreirarigo@hotmail.com ou pelo formulário de contato. 

Ao término do curso são entregues certificados a todos os participantes e a empresa contratante.




quarta-feira, 16 de novembro de 2011

O uso correto da fitoterapia

     
     A utilização da fitoterapia vem crescendo dia a dia, devido ao aumento de pesquisas relacionadas aos medicamentos fitoterápicos e a busca da população por uma vida mais saudável e livre de medicamentos com formulações químicas. Apesar de ser considerado como um tratamento "natural" pela população, a utilização de fitoterápicos deve ser feita de forma cautelosa e sempre prescrita por um profissional médico ou nutricionista. 
     A Anvisa define como fitoterápicos "medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais. Eles são obtidos empregando-se exclusivamente derivados de droga vegetal (extrato, tintura, óleo, cera, exsudato, suco, e outros)". A Agência Nacional de Vigilância Sanitária adverte que "os fitoterápicos, assim como todos os medicamentos, devem oferecer garantia de qualidade, ter efeitos terapêuticos comprovados, composição padronizada e segurança de uso para a população".
     O nutricionista devidamente capacitado, que atua individualmente ou em equipe multidisciplinar, poderá prescrever fitoterápicos, desde de que forem de origem conhecida, com rotulagem adequada às normas da Anvisa e desde que oriente o consumidor a observar as condições higiênico-sanitárias da espécie vegetal prescrita. 
     Apesar de parecerem inofensivos, alguns fitoterápicos se utilizados de forma errada podem causar danos a saúde, que podem ser leves como uma pequena alergia, quanto graves, levando a sérias intoxicações e abortos por exemplo. 
     Uma das plantas medicinais mais utilizadas por pessoas com problemas de constipação intestinal é o Sene. Esta planta deve ser utilizada com muita cautela, pois além de diarreia, o sene pode causar câncer. Ele irrita a mucosa intestinal e pode causar mutação celular, assim como a cáscara-sagrada. Isso sem falar que o intestino pode ficar dependente dessas substâncias.
     Outro exemplo é a Valeriana que vem sendo usada no tratamento de insônia e que, ao contrário dos medicamentos convencionais, não provoca dependência nem tolerância. No entanto, se ingerida em grandes quantidades e por tempo prolongado, ela pode ser tóxica para o fígado.
     A fitoterapia também não deve substituir tratamentos medicamentosos prescritos pelo médico. Ela deve ser aliada ao tratamento e sempre com orientação do profissional. 

     Agora que você já conhece alguns riscos da má utilização dos fitoterápicos, converse com seu médico e/ou nutricionista antes de começar o tratamento com plantas medicinais. 

Fontes:
www.nutritotal.com.br
Anvisa
www.comciencia.com.br

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A primavera chegou!!!

     A primavera chegou, e é hora de preparar o corpo para o verão!!! A estação pede uma alimentação mais leve, já que o gasto energético do corpo é menor devido a temperatura. Além disso, devemos ingerir mais água nesta época, pois as altas temperaturas podem causar desidratação. 
     Para quem ganhou uns quilinhos extras durante o inverno, este é o momento certo para entrar em forma para o verão. Com as temperaturas mais amenas, sobra disposição para a prática de atividades físicas, então aproveite o momento e comece um exercício aeróbico para reduzir a quantidade de gordura acumulada na região abdominal. 
     Cuidado com os excessos nos finais de semana. A ingestão de bebidas alcoólicas e petiscos pode prejudicar o processo de emagrecimento, e jogar no lixo todo o esforço feito durante a semana. Evite a ingestão demasiada de álcool e frituras. Prefira petiscos leves como azeitonas, palmito, tiras de cenoura, palitos salgados assados, ao invés dos salgadinhos e bolinhos fritos. 
     Aumente a ingestão de frutas, legumes e verduras. Estes alimentos são ricos em fibras que melhoram o funcionamento do trato intestinal, mantém o organismo hidratado e auxiliam na redução de gordura, principalmente se consumidos crus e com casca e/ou sementes. Os vegetais de cores vermelhos, laranjados e amarelos possuem betacaroteno, substância que ajuda a formação de melanina que dá cor a pele, protege contra os raios ultravioletas e mantém o bronzeado prolongado. 

     Procure um especialista, agende uma avaliação nutricional e entre em forma para o verão!!!

     Consultório de Nutrição Karina Rigo:
     Tel: (45) 3523-4200
   Rua Quintino Bocaiúva, próximo ao Country Club - Foz do Iguaçu/PR

terça-feira, 26 de julho de 2011

Alergias Alimentares

     A Alergia Alimentar é uma Reação Adversa a determinado alimento. Envolve um mecanismo imunológico e tem apresentação clínica muito variável, com sintomas que podem surgir na pele, no sistema gastrintestinal e respiratório. É muito comum que haja confusão entre alergia alimentar e intolerância alimentar. Apesar de apresentarem alguns aspectos parecidos na sintomatologia, suas causas são bem distintas. Ao contrário de uma reação alérgica onde o sistema imunológico é ativado e lança uma resposta, a intolerância a alimentos pode ocorrer pela falta de uma enzima necessária para a digestão desse alimento. Por exemplo, pessoas que não produzem lactase, enzima responsável pela digestão da lactose (açúcar do leite) não toleram alimentos com leite. Essa dificuldade de digerir o leite poderá resultar em sintomas desagradáveis, mas não significa uma alergia. Já a alergia alimentar resulta de uma resposta exagerada do organismo a determinada substância presente nos alimentos. 

    
     Pacientes que possuem alguma doença alérgica tem mais probabilidade de possuir alguma alergia alimentar ao longo da vida. Qualquer alimento pode desencadear reação alérgica. No entanto, o leite de vaca, ovo, soja, trigo, peixe e crustáceos são os mais envolvidos. Os sintomas mais comuns são urticárias, vômitos, dores abdominais, diarréias, inchaço, enxaqueca, tosse, deficiência respiratória e casos mais severos podem levar ao choque. 
     O diagnóstico da alergia depende de história clínica minuciosa associada a dados de exame físico que podem ser complementados por testes alérgicos. Mas nem sempre os testes que demonstram a presença de sensibilização alérgica (anticorpo IgE) tem relação direta com manifestações clínicas. Eles apontam os alimentos suspeitos de causar alergia naquele paciente. Quando houver associação nítida entre ingestão do alimento e surgimento de manifestação clínica, os exames positivos podem ser considerados como diagnósticos de sensibilização (alergia) ao alimento. Quando a relação entre ingestão e o quadro clínico não for tão evidente é necessário confirmar através de teste de provocação oral. Neste caso, os alimentos são introduzidos em quantidades crescentes e o médico especialista avalia a repercussão clínica da ingestão do alimento suspeito. 
     Não existe medicamento específico para alergias alimentares. Antialérgicos podem ser administrados para reduzir os sintomas da crise alérgica, mas é muito importante que o alimento alergênico seja excluso da dieta, e substituído por outros alimentos de igual valor nutricional. É importante também ler atentamente os rótulos dos alimentos para evitar a ingestão de algum produto industrializado que contenha o alergênico. 

Imagens:
Google Imagens

Fontes:
Associação brasileira de alergia e imunopatologia ASBAI
Cocco, Renata Rodrigues et al. Abordagem laboratorial no diagnóstico da alergia alimentar. Rev. Paul Pediatr 2007; 25(3):258-65. Disponível em: www.scielo.br

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Medicamentos emagrecedores e seus efeitos à saúde

     A busca incessante por um corpo perfeito e a dificuldade de se adaptar a uma dieta, exercícios e novos hábitos alimentares leva muitas pessoas a procurar métodos mais "rápidos" para emagrecer, sem se preocupar com os efeitos que esses métodos podem causar a saúde. A maioria dos medicamentos para emagrecer agem no sistema nervoso central inibindo a fome e dando maior sensação de saciedade. Apesar de a Anvisa estar aumentando a fiscalização de venda e prescrição destes medicamentos no Brasil, a sua comercialização é livre nos países vizinhos, facilitando o acesso à população. Porém, muitos medicamentos comercializados fora do Brasil não possuem inspeção sanitária e não apresentam garantias de boa qualidade e procedência. 
     É muito importante que os emagrecedores sejam prescritos por um médico especialista e acompanhado o uso também por um nutricionista, para monitorar a perca de peso e os efeitos destes medicamentos no organismo, pois cada indivíduo pode apresentar uma resposta diferente à medicação. Os principais efeitos colaterais dos anorexígenos são a hipertensão arterial e palpitações - principalmente se houver histórico familiar, irritabilidade, depressão, confusão mental, insônia, náuseas, vômitos, constipação e/ou diarréia e em alguns casos podem causar surtos psicóticos, alucinações e depressão grave. 
     A entrevista abaixo relata a história de uma paciente que fez uso de um medicamento para emagrecer mesmo sem precisão, e por pouco não teve graves sequelas dos efeitos que a medicação causou ao seu organismo.

Parte 1:


Parte 2:

Leia mais sobre emagrecedores no blog: http://www.draramispedroteixeira.blogspot.com

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Sistema Imunológico e Alimentação

     
     O sistema imunológico é uma complexa rede de tecidos, órgãos, células e substâncias que protegem o nosso corpo de infecções e doenças. Constantemente o nosso corpo hospeda milhões de microorganismos (bactérias, vírus e fungos), que em algumas situações são até benéficos, em outras, não são, causando muitas vezes processos infecciosos. Esses microrganismos benéficos competem com os oportunistas, não deixando que estes últimos se multipliquem. A melhor defesa contra eles é ter um sistema imunológico fortalecido, cujo organismo é capaz de lutar contra esses invasores. É possível observar que a imunidade está baixa quando o organismo é  alvo de infecções e inflamações decorrentes que podem começar pequenas e se tornar mais sérias.
     Estudos têm mostrado que a alimentação regrada e alguns nutrientes específicos podem beneficiar a resposta imunológica, os quais devem ser priorizados em fases mais intensas de treinamento. Os alimentos contêm substâncias bioativas que podem estimular o sistema imunológico, aumentando a resistência aos microrganismos. Algumas substâncias presentes nos alimentos atuam no organismo de maneira a catalisar e potencializar o sistema imunológico, tais como: vitaminas, minerais e enzimas, que devem ser consumidas periodicamente. 
     As principais vitaminas e minerais que atuam fortalecendo nosso sistema imunológico são as vitaminas A, C, E e ácido fólico e os minerais zinco e selênio. Como fonte de vitamina A podemos citar a cenoura, a abóbora, o tomate e o brócolis. Já a vitamina C pode ser encontrada nas frutas cítricas, na acerola e no morango. As frutas oleaginosas como castanhas, nozes e amêndoas são ricas em vitamina E e Selênio, portanto devem ser ingeridas diariamente. Já o ácido fólico pode ser encontrado nos feijões e nos vegetais verdes escuros como brócolis, couve-manteiga e espinafre. Peixes, carnes e leite são ótimas fontes de Zinco.
     Além dessas vitaminas, alimentos chamados de probióticos – alguns iogurtes e leites fermentados - também tem ação benéfica no sistema imune. As ações dos probióticos no sistema imunológico consistem em estimular a produção de alguns fatores imunológicos e a modulação de outros.
     Um indivíduo que mantém uma alimentação equilibrada em nutrientes e ingere diariamente frutas, verduras e legumes, está trabalhando para manter seu sistema imunológico fortalecido. 

Imagens:
Google imagens

Fontes:
Santos, Andréia Sena Silva. Nutrição e Sistema Imunológico.
Salgado, Jocelem Mastrodi. Alimentos que fortalecem o Sistema Imunológico
www.rgnutri.com.br
www.nutrisport.com.br

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Consumo de água no inverno

   
     Que a água é um líquido essencial para a vida e que ela corresponde a mais ou menos 60% do peso corporal dos indivíduos, muita gente sabe. Porém, no inverno é comum as pessoas reduzirem o consumo de água porque a sensação de sede diminui, e com isso, acabam causando prejuízos à sua saúde. Com as baixas temperaturas desta estação, ocorre uma perda significativa de água não somente pela respiração, mas ainda por conta do aumento do metabolismo energético, do uso de roupas pesadas e do aumento da diurese (urina). Pessoas com tendência a desenvolver cálculos renais, cistite ou infecções urinárias de repetição devem se atentar ainda mais ao consumo de água, pois a falta dela pode agravar ainda mais a situação. 
     A variação de apenas 1% no grau de hidratação já é suficiente para provocar sintomas de desidratação, como náuseas e tontura. A performance de atletas é prejudicada quando o grau de desidratação excede 2% do peso corporal, alterando os sistemas: nervoso central, cardiovascular e termoregulatório. 
     De acordo com as DRI´s (Dietary Reference Intakes for Water, Potassium Sodium, Chloride, and Sulfate, Food and Nutrition Board, 2005), a recomendação de ingestão diária de água para adultos fica em torno de 3 litros para homens e 2,5 litros para mulheres. Estes valores podem variar de acordo com o estado, idade, peso, atividades físicas de cada indivíduo. 
     Existem boas alternativas para aumentar a ingestão de água neste período, como o consumo de chás, caldos e sopas. As bebidas quentes ajudam a regular a temperatura corporal, e manter o corpo hidratado. Além disso, você pode se beneficiar das propriedades terapêuticas de alguns chás, mas lembre-se sempre de procurar ajuda de um profissional para indicar o melhor para você. 

Imagens:
Google imagens

Fontes: 
Água: elemento fundamental para a vida. Rev. Saúde e Nutrição, ed.03, abril de 2011.
Dietary Reference Intakes for Water, Potassium, Sodium, Chloride, and Sulfate, Food and Nutrition Board, 2005.
www.folha.uol.com.br

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Reaproveitando os alimentos

     Reaproveitar alimentos é uma arte que une atos ecologicamente corretos, reduz o desperdício de alimentos e dinheiro e além de tudo é saudável, pois se aproveita praticamente tudo do que o alimento tem a oferecer. Cascas, talos e sementes podem ser bem aproveitados desde que bem higienizados e armazenados. Além dos alimentos "in natura", as sobras de alimentos já preparados também podem ser aproveitados para outras preparações, se obedecerem as normas de higiene adequadas. Para os alimentos já preparados como arroz, legumes, massas, etc, o indicado é que estes alimentos sejam armazenados sob refrigeração até o momento de sua reutilização que não deve ultrapassar 24 horas. Hoje, vou passar algumas receitas onde podemos reaproveitar alimentos "in natura" e em outro post falarei mais sobre os alimentos já preparados e como armazená-los até o momento do seu reaproveitamento. 
     Como em qualquer outro processo de manipulação, as frutas, verduras e legumes devem ser lavados em água corrente, deixados de molho em solução clorada por 10 minutos e enxaguados em água corrente novamente. Para a solução clorada utilizamos 1 colher de sopa de água sanitária para cada litro de água filtrada.

Brigadeiro de casca de Banana 


Ingredientes: 
12 casacas de banana madura
6 colheres de sopa de farinha de trigo
6 colheres de sopa de leite em pó
1 xícara de Nescau ou chocolate em pó ou achocolatado light
1 colher de sopa de margarina light
1 copo tipo requeijão grande de açúcar mascavo

Preparo: Picar a aferventar as cascas. Trocar a água e cozinhá-las por mais ou menos 20 minutos com água suficiente para o cozimento. Bater no liquidificador utilizando um copo e meio de água do cozimento. Acrescentar os ingredientes, deixando a margarina para o final e leve ao fogo baixo mexendo sempre. Quando estiver em ponto de brigadeiro coloque a margarina. Despejar em superfície untada e deixar esfriar. Enrolar e passar em chocolate granulado (mais ou menos 200 gramas).

Cocadinha com casca de Abóbora


Ingredientes:
500 gramas de casca de abóbora já triturada
500 gramas de açúcar cristal
1 pitada de sal
1 colher de sobremesa de caldo de limão
3 cravos e pedacinhos de canela em pau.

Preparo: Antes de descascar a abóbora lave-a bem com escova. Pique-a em pedaços pequenos e bata-os no liquidificador com água filtrada o suficiente para bater. Escorra e esprema a polpa triturada. Leve-a ao fogo brando em panela grossa, acrescente a pitada de sal, o limão e o açúcar cristal, mexendo de vez em quando. O ponto é obtido quando começar a açucarar em volta da panela. Despejar em superfície untada, cortar e deixar secar.

Doce de casca de maracujá


Lave 6 maracujás e descasque-os, deixando toda a parte branca e dura com água. Deixe de molho de um dia para outro. Escorra, coloque em uma panela com 2 xícaras de açúcar e 3 xícaras de água. Deixe apurar. Se desejar, acrescente canela.

Estas são apenas algumas receitas onde podemos reaproveitar os alimentos, no site do Sesc - clique aqui para download - é possível baixar uma cartilha com várias receitas e mais dicas sobre reaproveitamento.

Imagens:
Google imagens

Fontes:
www.rgnutri.com.br
www.nutricaoemfoco.com.br
www.sescsp.org.br


segunda-feira, 13 de junho de 2011

Inverno e Vinho: o casamento perfeito



     Apesar de não ter começado oficialmente – o inverno no Brasil inicia dia 21 de junho – as temperaturas estão diminuindo, e este clima frio pede um bom vinho. A união é perfeita, além de aquecer o corpo e ser um ótimo acompanhamento de pratos quentes, o vinho faz muito bem a saúde.
     Os polifenóis (substâncias encontradas na casca, semente e polpa da uva) possuem ação antioxidante e antiinflamatória. Dentre os seus principais benefícios à saúde estão a redução dos níveis sanguíneos do mau colesterol (LDL) e aumento do bom (HDL), evitando problemas cardiovasculares. Além disso, estas substâncias agem reduzindo os sintomas do stress e depressão e previnem o envelhecimento precoce.
     O resveratrol é o polifenol encontrado no vinho mais estudado por cientistas, e diz-se que é a substância que mais benefícios traz a saúde. Além de todos os citados acima, o resveratrol pode ter ação sobre o vírus da herpes, inibe o desenvolvimento de tumores e protege os neurônios.
     Estudos revelam que o vinho Brasileiro está em 2º lugar no que diz respeito ao teor de resveratrol. Uma boa notícia para os produtores do país, que só perde para o vinho Francês. A nível nacional, os vinhos que apresentam maior teor da substância são os produzidos nas serras gaúchas, devido ao clima frio e úmido, onde a planta tende a aumentar a produção de resveratrol para combater ataques de fungos e microorganismos.
     Engana-se porém, quem acha que os vinhos nacionais possuem preços mais acessíveis. Uma garrafa do vinho Sesmarias da safra 2008 da Miolo, que foi considerado em 2010 o melhor vinho tinto pelos jurados de uma exposição de vinhos em São Paulo, custa em torno de R$ 200,00. Mas, existem vinhos para todos os gostos e bolsos. Para quem quer qualidade e bom preço, uma ótima opção é visitar as vinotecas argentinas. Além de poder saborear os vinhos antes de comprá-los, você também irá desfrutar dos conhecidos queijos argentinos, e receber uma verdadeira aula sobre a bebida. No quesito atendimento, nossos “hermanos” não deixam nada a desejar.
     
Mas atenção: antes de se embebedar com um bom vinho, lembre-se que a dose recomendada para ingestão diária é de apenas 200ml!

Imagens:
Google imagens

Fonte:
Artigo publicado no mês de junho/11 no site anestezia.com

terça-feira, 31 de maio de 2011

Obesidade Infantil: um problema de família!

     
     Já diz o ditado que "o pior cego é aquele que não quer enxergar". Geralmente, a criança chega ao consultório quando está muito acima do peso, e por indicação do pediatra. Dificilmente os pais conseguem enxergar que o filho está obeso e precisa de ajuda. Considerado um problema de saúde pública, de acordo com a OMS a obesidade infantil está presente em pelo menos 7% das crianças brasileiras, e este dado vem subindo a cada ano. Mais do que um problema de saúde pública, a obesidade infantil é um problema de família, onde todos os componentes do grupo interferem diretamente na condição da criança. 
     Ainda é do pensamento popular achar que gordura, é sinônimo de saúde - felizmente esse comportamento está sendo mudado com os anos. Enfim, não é difícil ouvir comentários do tipo "olha as dobrinhas dela, que linda", "meu filho não está gordo, está forte", "deixa ele comer, só mais um pouquinho não faz mal"... e por aí vai. 
     Acredito que não existe maneira de mudar a cabeça de uma criança sem antes mudar a consciência dos seus responsáveis. Grande parte das atitudes que as crianças tomam são reflexo do que seus pais demonstram a elas, por isso, o exemplo da família é o passo mais importante no tratamento da obesidade infantil. Outro fator importante é a inatividade física. Com a falta de segurança, muitos pais "prendem" seus filhos em casa, com medo da marginalidade e favorecem o sedentarismo, favorecendo o acúmulo de gordura corporal.
  
   Algumas dicas podem ajudar no tratamento da criança:

- Fique atento nas atitudes do seu filho: se ele costuma comer escondido, come muito rápido, não tem interesse em experimentar frutas, legumes e verduras, passa uma boa parte do tempo na frente do computador/videogame, podem ser indícios de distúrbios alimentares;
- Procure ajuda assim que desconfiar do excesso de peso, não deixe a situação se agravar;
- Se seu filho está em tratamento, evite comprar guloseimas ou alimentos que não fazem parte da dieta dele. É difícil resistir as tentações quando elas estão ao nosso lado!
- Programe horários para que ele faça as refeições, e elas sempre devem ser feitas à mesa, em família. Evite fazer as refeições no sofá, ou em frente a televisão;
- Dê o exemplo. Se você não come frutas, seu filho também não irá comer!
- Dedique um horário do seu dia para acompanhá-lo em alguma atividade física, como uma caminhada. Aproveitem para dialogar e falar sobre o dia de cada um. Além de se exercitarem, estarão re-ativando o vínculo pai/mãe-filho;

Imagens:
Google imagens

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A alimentação no combate à Acne

     A acne é uma dermatose inflamatória que se desenvolve nos folículos pilos sebáceos, Ela é uma doença de predisposição genética cujas manifestações dependem da presença dos hormônios sexuais. Devido a isso, as lesões começam a surgir na puberdade, época em que estes hormônios começam a ser produzidos pelo organismo, atingindo a maioria dos jovens de ambos os sexos. A doença manifesta-se principalmente na face e no tronco, áreas do corpo ricas em glândulas sebáceas.
Dentre os fatores causadores da acne temos:
     Fatores hereditários: existem famílias inteiras de acnéicos. Nestes casos, a partir de 10 anos é possível prever o aparecimento da acne.
     Desequilíbrio Hormonal: É na puberdade que o adolescente tem os seus hormônios sexuais estimulados e com a ativação dos hormônios masculinos ocorre uma reação nas glândulas sebáceas, propiciando o aparecimento da acne.
     Ovários: ocorre nas mulheres portadoras de uma disfunção que não transforma o hormônio masculino (andrógeno) em feminino (estrógeno).
Além disso, essas pacientes além da acne podem ter problemas de obesidade, aumento de pelos e irregularidades menstruais.
   Uso de cosméticos: os produtos gordurosos ou oleosos (como as bases e cremes hidratantes, por exemplo) podem trazer acne até para quem nunca teve este tipo de doença, nem na adolescência.
     Medicamentos: remédios como cortisona, os barbitúricos, xaropes à base de iodo ou bromo podem ter efeito colateral e formar a acne. Se o uso for imprescindível, recomenda-se um tratamento dermatológico paralelo.

     Além de manter uma boa higienização da pele, ter cuidados ao sol e utilizar produtos adequados ao tipo de pele (indicados pelo dermatologista), algumas mudanças na alimentação podem ajudar a amenizar o aspecto da acne e diminuir a oleosidade da pele.
     Primeiramente é necessário evitar os alimentos gordurosos como frituras, carnes gordas e embutidos. Os alimentos considerados “inflamatórios” – açúcares, chocolate ao leite (prefira o amargo), farinhas refinadas, gorduras trans, sal e alimentos industrializados - também devem ser retirados do cardápio. Eles agravam o processo inflamatório da acne e dificultam sua cicatrização. Leite e derivados também devem ser evitados, com exceção dos que contém probióticos como iogurtes e leites fermentados.
     A ingestão de fibras e de água deve ser aumentada para garantir o bom funcionamento intestinal. Invista na ingestão de frutas com casca e bagaço, vegetais folhosos, frutas secas, aveia, quinua e granola.

Imagens:
Google imagens

Fontes:
www.rgnutri.com.br
www.dermatologia.net

quarta-feira, 11 de maio de 2011

RESULTADO PROMOÇÃO



A ganhadora tem até o dia 14/05 para entrar em contato com o blog, caso contrário será realizado um novo sorteio.

Dados necessários para envio:
Nome completo
Endereço completo e cep

Enviar para o email: karinaferreirarigo@hotmail.com


segunda-feira, 9 de maio de 2011

Dietas da Internet

Nos últimos meses tenho recebido vários emails, msgs e contatos através do blog solicitando o envio de dietas por msn, face e até pelo orkut. 

Primeiramente, uma consulta nutricional é como uma consulta médica. Não há como o médico prescrever um medicamento ou um tratamento sem ter contato direto com o paciente, analisar exames clínicos e físico. Na nutrição também utilizamos métodos de avaliação que são muito importantes para o resultado do tratamento, seja ele para patologias como diabetes, hipertensão, constipação ou para emagrecimento ou ganho de massa muscular. Cada indivíduo tem suas necessidades específicas de nutrientes e calorias, e para que estas sejam prescritas corretamente, é necessário que se realize avaliação física, antropométrica e laboratorial com o paciente. Quando não há avaliação correta, o paciente corre o risco de sofrer as consequências de uma alimentação pobre em nutrientes, tendo um tratamento fallho. 

Além disso, a Resolução do CFN (Conselho Federal do Nutricionista) 334/2004 que dispõe o código de ética do nutricionista, é bem claro no Cap. III, Art. 7º, Parágrafo XVII: É vedada ao profissional nutricionista a seguinte conduta: Realizar consultas e diagnósticos nutricionais, bem como prescrição dietética, através da Internet ou qualquer outro meio de comunicação que configure atendimento não presencial. 

Infelizmente, alguns "profissionais" não respeitam a resolução e realizam Venda de Dietas através da internet, além de utilizam imagens manipuladas por programas de computador para ilustrar um falso trabalho realizado. 

Gostaria de deixar bem claro que não faço este tipo de trabalho e sou contra quem faz. O blog é um meio de comunicação que visa propagar uma alimentação saudável e levar informação a população, e não é um site de venda de dietas. 

Continuem lendo os artigos sobre alimentação saudável e comentando no blog... e não esqueçam, amanhã tem sorteio!!!

Karina Rigo

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Estou com anemia, e agora?

     Primeiramente, vamos entender o que é a anemia. A OMS (Organização Mundial da Saúde) define como anemia a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal, como resultado da carência de um ou mais nutrientes essenciais, seja qual for a causa dessa deficiência. Vários são os tipos de anemia, sendo os mais comuns as causadas por deficiência de ferro (anemia ferropriva), vitamina B12 (anemia perniciosa) e/ou ácido fólico. Ainda pela definição da OMS, cerca de 30% da população mundial é anêmica, sendo que sua prevalência em crianças menores de 2 anos de idade chega a 50%. Antes de tratar a anemia, é importante identificar a sua causa, para que a ingesta de nutrientes seja calculada corretamente. 
     Na anemia ferropriva, temos geralmente uma alimentação pobre em ferro. Mas problemas de absorção intestinal ou perda intensa de sangue como hemorragias, úlceras e menstruação também podem ser causadores do problema. O ferro é um nutriente essencial para a síntese das células vermelhas do sangue e no transporte de oxigênio para todas as células do corpo. Os sintomas mais comuns são fraqueza, fadiga, sangramento nas gengivas, sonolência e palidez. A ingestão de ferro deve ser aumentada, sendo por suplementação com orientação médica ou do nutricionista, ou por alimentação, vai depender da gravidade da anemia. Alimentos de origem animal possuem uma maior quantidade de ferro com melhor absorção, como as carnes, ovos e laticínios. Entre os vegetais, encontramos o chamado ferro "não-heme", que possui menor absorção e precisa de uma "mãozinha" de outras vitaminas para ser melhor absorvido. Em geral, os vegetais verdes escuros - brócolis, couve-manteiga, espinafre e rúcula - e as leguminosas - feijões, grão-de-bico, soja - são so alimentos com maior teor de ferro. É indicado o aumento do consumo de alimentos ricos em vitamina C após as refeições para melhorar a absorção de ferro pelo organismo. 
     A anemia perniciosa causada pela deficiência de vitamina B12 é mais comum em vegetarianos, pacientes após realizarem cirurgia bariátrica ou retirada de partes do intestino, onde há redução na absorção da vitamina. Em geral, a vitamina pode ser encontrada em alimentos de origem animal como as carnes, peixes, ovos e laticínios. Entre os vegetais podemos encontrá-la na levedura de cerveja, germe de trigo e grãos germinados. 
     Apesar de fácil tratamento, as anemias devem ser tratadas com seriedade e ter acompanhamento médico e nutricional para evitar agravo da doença. Em muitos casos a utilização de suplementação com medicamentos é necessária por um tempo, que somente um profissional poderá especificar. 

Imagens:
Google imagens

Fontes:
www.nutritotal.com.br
www.rgnutri.com.br
www.nutricaoemfoco.com.br

     

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Suplementos Alimentares: quando usar?

  
Não é de hoje que praticantes de musculação e desportistas utilizam suplementos alimentares para aumentar o ganho de massa magra, proporcionar força, disposição e rendimento durante os exercícios. Porém, o uso indiscriminado de suplementos alimentares pode ocasionar danos a saúde e até prejudicar a performance do consumidor. Existe no mercado uma variedade muito grande de suplementos acessíveis a todos (a maioria não precisa de receita médica ou do nutricionista para ser vendida), e isto, obviamente, facilita a ingestão exacerbada. Além disso, alguns instrutores até "fornecem" produtos aos alunos, geralmente, com prescrição acima do recomendado. 
     Primeiramente, é importante ressaltar que cada indivíduo tem suas necessidades específicas de macro e micronutrientes - carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas e minerais - portanto, cada prescrição deve ser individualizada e não deve ultrapassar o UL (limite superior seguro de ingestão). Uma boa avaliação física deve ser realizada regularmente para identificar a porcentagem de gordura e massa corporal do indivíduo, e retenção hídrica. Porém o que vemos na prática é totalmente diferente. 
     Geralmente os nutricionistas são vistos como os "contra suplementos". Não somos contra a utilização de suplementos, pelo contrário, sabemos que a utilização correta deles pode auxiliar muito na evolução do desportista. Porém, somos contra o seu consumo indiscriminado e venda sem prescrição nutricional. 
     Muitos desportistas acabam utilizando somente a suplementação como forma de ingestão de nutrientes, e deixam de consumir vegetais, grãos e fibras. É importante ressaltar que estes alimentos não devem ser retirados da alimentação, pois muitos nutrientes presentes neles podem ser úteis para a melhor absorção do suplemento alimentar. Por exemplo, a vitamina C presente nas frutas cítricas, acerola, morango, goiaba e abóbora, participa da síntese de colágeno, uma proteína importante para a formação da pele, ossos e tecidos. A ingestão de fibras também é importante, porque faz com que a absorção dos carboidratos ocorra de forma gradual, evitando a hiperglicemia. As fibras podem ser encontradas nas verduras, frutas com casca e bagaço, barrinha de cereais, aveia, linhaça e granola. Outro alimento importante é a água, ela mantém o corpo hidratado, repõe os sais perdidos durante o exercício e melhora a função renal, evitando cristais ou pedras nos rins, devido ao acúmulo de nutrientes. 
     Antes de começar a utilizar suplementos alimentares, procure um profissional para avaliar o seu corpo e prescrever orientações necessárias ao seu organismo. 

Imagens:
Google imagens

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Fuja dos Embutidos

     Embutidos são alimentos constituídos basicamente de carne e temperos, principalmente sal. Geralmente, as carnes utilizadas para a fabricação de embutidos são de má qualidade, possuem grande quantidade de gordura, e sua ingestão rotineira favorece o aparecimento de doenças cardiovasculares e dislipidemias. Os embutidos surgiram com a necessidade de preservar os alimentos, quando não havia tecnologias de conservação, como nos dias de hoje. 
     A quantidade de gorduras e sódio nestes alimentos é grande, portanto, devem ser evitados por hipertensos, diabéticos, cardiopatas, pessoas com problemas renais ou que tem retenção de líquidos. Para entender bem a diferença entre os embutidos mais consumidos, elaborei a tabela abaixo. Visto que dentre eles, o peito de peru é a melhor opção para consumo, porém seu uso também deve ser controlado.


segunda-feira, 28 de março de 2011

1ª PROMOÇÃO DO BLOG

PROMOÇÃO DE OUTONO!!! SORTEIO DIA 10/05/2011
NÃO FIQUE DE FORA!!!



REGULAMENTO:
  1. Seguir o blog www.souoqcomo.blogspot.com
  2. Seguir o twitter www.twitter.com/karinarigo (caso não tenha conta no twitter, especifique no comentário)
  3. Deixar um comentário neste post com seu Nome completo e Email
  4. Residir em território nacional



quarta-feira, 23 de março de 2011

Nutrição no combate à celulite

     A celulite é um quadro inflamatório do tecido celular subcutâneo, ou seja, que atinge a gordura que se localiza logo abaixo da pele, principalmente nas coxas e nos glúteos. A principal característica dela é a aparência da pele, que apresenta ondulações e, conforme o grau do problema, pode ficar como uma casca de laranja.Vários fatores são responsáveis e quase todos eles estão ligados ao estilo de vida que a pessoa tem. Entre eles, estão: hereditariedade, ou seja, predisposição genética; alterações hormonais (principalmente dos níveis de estrógeno) e circulatórias; alimentação deficiente; fumo; sedentarismo; uso de pílulas anticoncepcionais e tratamentos de reposição hormonal. 
     A classificação desta lipodistrofia ocorre de acordo com os seus estágios. O grau I é a fase oculta ou de predisposição e pode ser reversível. No grau II, a celulite começa a ser visível, porém, também pode ser reversível. Já no grau III, observa-se a etapa um pouco mais avançada, porém ainda passível de tratamento e pode ser reversível. A fase irreversível da doença acontece no grau IV, quando já não há mais resposta para o tratamento devido à presença do líquido rico em proteínas e lipídeos nos membros inferiores, causando um desconforto visual e até dores.
     A alimentação também tem um papel muito importante na ocorrência desse problema: o consumo exagerado de doces e gorduras (em forma de frituras, salgadinhos industrializados, excesso de óleo vegetal nas preparações, maionese, etc.) favorece o acúmulo de gordura subcutânea e, com isso, o aparecimento da celulite. O consumo de sal em excesso também favorece o aparecimento dos furinhos indesejáveis, já que ele aumenta a retenção de líquidos corporais, piorando o aspecto da inflamação. 
     Alimentos menos calóricos e mais ricos em vitaminas, fibras e minerais são bem vindos, pois são reguladores do processo de produção de energia, além de diminuir a absorção de gordura dos alimentos e controlar a regeneração de tecidos, mantendo a pele mais saudável e tonificada. Deve-se beber no mínimo dois litros de água por dia para manter o corpo hidratado, este procedimento ajuda na eliminação de toxinas pelos rins e auxilia no tratamento para celulite. 
     Os alimentos bons para combater a celulite são os que contenham cobre e manganês, que podem ser encontrados no azeite de oliva extra-virgem, castanha-do-pará, soja, amêndoas, feijão, lentilha, lima da Pérsia. Vitamina A e beta-caroteno também são indicados, pois podem ser encontrados em alimentos amarelos ou alaranjados, como tomate, cenoura, mamão e abóbora. São alimentos antiinflamatórios capazes de melhorar a inflamação local e sistêmica e ainda fornecem nutrientes para ativação de metabolismo. Esses alimentos devem fazer parte da rotina diária de alimentação.
     Alguns chás também podem ser utilizados para combater os furinhos. A ação diurética do hibiscus transformou a planta numa grande aliada das mulheres na luta contra a celulite. O chá preparado a partir do cálice do hibiscus ajuda a diminuir a retenção de líquidos, uma das responsáveis pela formação e agravamento da celulite. O chá de centella asiática também é empregado para combater a celulite e estimular a produção de colágeno. 

Fontes:
www.rgnutri.com.br
www.nutricaoemfoco.com.br

Imagens:
Google imagens

segunda-feira, 14 de março de 2011

Alimentação e Saúde Dental

A nutrição desempenha um papel importante na saúde oral. Ter uma dieta equilibrada em nutrientes pode fazer uma grande diferença à sua saúde bucal. 

     Uma alimentação correta oferece aos tecidos dos seus dentes e gengivas os nutrientes e minerais mais importantes para que eles se mantenham fortes e resistentes a infecções que contribuem para a doença gengival. Alimentos duros e fibrosos como as frutas e os vegetais, ajudam a manter as gengivas e dentes limpos, porque durante a mastigação, promovem uma ação de auto-limpeza, não substituindo, porém, a escovação após as refeições. Estes alimentos são chamados de "alimentos detergentes" e fornecem vitaminas importantes para o bom funcionamento do organismo e prevenção de doenças. Por outro lado, alimentos moles e muito aderentes tendem a manter-se nas fissuras e entre os dentes, promovendo a acumulação de placa bacteriana, são os chamados "alimentos adesivos". 
     Os açúcares existentes em muitos alimentos e bebidas ajudam a formar a placa bacteriana que destrói o esmalte dos dentes. A ingestão exagerada de alimentos ácidos como o abacaxi, laranja, limão e cítricos em geral, além dos refrigerantes, favorecem a erosão ácida, que se manifesta sob a forma de desgaste da estrutura dentária, mesmo na ausência de cárie e em bocas bem higienizadas.
     A má nutrição e deficiências vitamínicas provocam a diminuição do fluxo salivar, gengivite e outras alterções na gengiva. Pessoas que fazem dietas de emagrecimento muito restritivas, muitas vezes, erroneamente, permanecem em jejum prolongado, o que leva a hipoglicemia e a queima de gordura, que produz gases de odores fortes. Além disso, o uso de fórmulas fortes para emagrecimento, costuma provocar desidratação pelos laxantes e, por este motivo, também ocorre diminuição do fluxo salivar e formação de língua branca e mau hálito. Transtornos alimentares como a bulimia e a anorexia, afetam diretamente os dentes por erosão do esmalte dentário, causado pelo ácido contido nos vômitos forçados.
     Para manter os dentes em boas condições ou prevenir doenças dentárias siga algumas dicas:
  • Limite a ingestão de alimentos açucarados ou ricos em hidratos de carbono como balas, chocolate, refrigerantes e doces em geral;
  • Bebidas como o café, chá mate e refrigerantes a base de cola podem escurecer e manchar os dentes, procure ingerí-los com moderação;
  • Escove os dentes pelo menos 3 vezes ao dia, após as principais refeições, utilize também o fio dental;
  • Na infância e durante a gestação, a quantidade de cálcio ingerida deve ser aumentada para garantir a boa formação dos dentes. Consuma alimentos como o leite, queijos, iogurtes e vegetais verdes escuros;
  • A ingestão correta de vitamina C ajuda a prevenir problemas nas gengivas. Consuma alimentos ricos na vitamina, como acerola, morango, abóbora, goiaba e frutas cítricas.
Fontes:
www.colgate.com.br
www.dentistavirtual.com.br
www.oralline.com.br

Imagens:
Google imagens

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Adoçantes: saiba qual é o melhor para sua saúde!

     Os adoçantes, muito utilizados nas dietas de emagrecimento, são compostos por edulcorantes, podendo ser naturais ou artificiais e conter ou não calorias. Os adoçantes também estão presentes em produtos com finalidades dietéticas especiais, como os alimentos diet´s formulados para pessoas com diabetes. 
     Com o uso indiscriminado dos adoçantes, pouca gente sabe que alguns deles podem ser prejudiciais a saúde e não são indicados para todos os ciclos da vida, sendo proibidos para crianças ou gestantes, por exemplo. Outro ponto desconhecido, é que o uso de adoçantes, não evita o ganho de peso, já que eles não são capazes de reduzir a vontade de ingerir doces. 
     Dentre os adoçantes artificiais podemos encontrar a Sacarina, a Sucralose, o Acessulfame K, o Aspartame e o Ciclamato. Já a Stevia é considerada um adoçante natural. 

SACARINA
É capaz de adoçar 300 vezes mais do que o açúcar e tem gosto amargo. Geralmente é utilizado em xaropes e medicamentos contra a tosse. Em 1981 a substância foi proibida nos EUA, sendo incluída na lista de substâncias perigosas para a saúde, por suspeita de causar câncer de bexiga em animais de laboratório. Em 2010, ela foi retirada da lista por não ser considerada potencialmente perigosa para a saúde. 

SUCRALOSE
Adoça 600 vezes mais do que o açúcar. Não tem sabor residual e pode ser utilizado na culinária. É considerada um dos adoçantes mais seguros para a saúde humana, por não possuir efeitos adversos. Porém seu valor de mercado é mais alto do que os outros adoçantes, fazendo com que ele não seja acessível a todas as pessoas. 

ACESSULFAME K
Possui poder de adoçar 200 vezes mais do que o açúcar e também não deixa sabor residual. Este adoçante é muito utilizado em refrigerantes, gomas de mascar e na indústria farmacêutica. Não há dados sobre possíveis efeitos tóxicos da substância. 

ASPARTAME
Também tem poder adoçante cerca de 200 vezes maior do que o açúcar. Seu sabor é perdido em altas temperaturas e é uma das substâncias mais utilizadas em produtos light´s e diet´s. Apesar de seu uso ser considerado seguro na gravidez (somente doses muito grandes de adoçantes seriam tóxicos ao feto), seu uso deve ser controlado por gestantes.

CICLAMATO
Seu poder adoçante é pequeno, cerca de 40 vezes maior do que do açúcar. É muito utilizado em refrigerantes, e por conter sódio deve ser evitado por hipertensos e pessoas com problemas renais. 

STEVIA
Adoçante natural, capaz de adoçar 300 vezes mais do que o açúcar. Tem sabor residual forte. Assim como a sucralose, é considerado um dos adoçantes mais seguros para a saúde e é o adoçante mais utilizado nos EUA. 

Agora que você já conhece um pouco mais sobre cada adoçante, basta decidir qual o melhor a ser utilizado. Particularmente, fico com os adoçantes a base de Stevia e Sucralose. 

Imagens:
Google imagens

Fontes:
www.oglobo.com.br/vivermelhor
www.diabetes.org.br

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Os benefícios da Romã

Considerada um símbolo de riqueza e sorte, desde o Império Romano, a Romã apresenta também uma riqueza de nutrientes importantes para a prevenção de doenças e manutenção da saúde. 
     De acordo com estudos da Universidade de Baroba, na Índia, o fruto tem três vezes mais capacidade antioxidante que o vinho e o chá verde. A Romã contém compostos bioativos como as antocianinas, o ácido gálico, as vitaminas E e C e betacaroteno, responáveis pela ação antioxidante do fruto. Além disso, o extrato de Romã, contém taninos hidrolisáveis, que ajudam a reduzir o colesterol ruim, retardam o envelhecimento das células e previnem alguns tipos de cânceres. 
     Pesquisadores da Califórnia descobriram componentes no suco de Romã que podem inibir o movimento de células cancerosas e a metástase do câncer de próstata. O estudo sugere que a utilização do suco da Romã também possa ser benéfico inibindo outros tipos de tumores. O alto teor de sais minerais da Romã ajudam a combater a anemia e a fraqueza do organismo, a falta de memória, e proporciona um reforço ao sistema imunológico. 
     Mas os benefícios do fruto não param por aí! Um estudo realizado na Escócia sugere a utilização do suco de Romã para combater a gordura abdominal e reduzir a pressão arterial. Os 24 voluntários do estudo ingeriram 500ml de suco de romã diariamente, e ao final da pesquisa apresentaram menor taxa de gordura e também pressão arterial menor. 
     A romã também é conhecida por possuir "poder" antibiótico. Um estudo israelense feito com pacientes renais em diálise, mostrou que após um ano ingerindo o suco da romã, os pacientes tiveram uma redução das moléculas inflamatórias no sangue. O uso do suco também pode ser empregado em amigdalites bacterianas, faringites, e inflamação das gengivas. Além disso o suco é empregado em casos de corrimentos vaginais, onde são indicados banho de assento com infusão de 1/4 de casca, e os benefícios podem ser sentidos me apenas três dias de aplicação. A casca e a raíz também podem ser utilizada como vermífugo. 

Receitas com Romã

Suco "Elimina Barriga"
- 2 fatias de melão
- Sementes de 1 romã média
- Adoçante a gosto
- 200ml de água mineral gelada
Bater todos os ingredientes no liquidificador e coar. 

Suco "Antioxidante"
- Sementes de 4 romãs
- 1 colher de chá de mel
- 200ml de água mineral gelada
Bater todos os ingredientes no liquidificador e coar. 

Suco "Bronzeador" 
- Sementes de 3 romãs
- 1 cenoura picada
- 1 laranja
- 150ml de água mineral gelada
Bater todos os ingredientes no liquificador e coar. O suco deve ser ingerido, e não pode ser passado sobre a pele. 

Xarope de Romã
- 3 xícaras de chá de sementes de romã
- 2 xícaras de chá água
- 1 1/2 xícara de chá de açúcar mascavo
- Raspas de 2 limões
- Suco de 2 limões
Em um recipiente, esmague as sementes da romã formando um purê. Em uma panela, coloque o purê com o suco de limão e a água e deixe ferver por cerca de 15 minutos. Passe este suco em uma peneira e coloque-o de volta a panela, acrescentando os ingredientes restantes. Deixe ferver até que o líquido reduza pela metade e vire uma calda grossa. Armazene em um frasco de vidro limpo. Pode ser utilizado em no máximo 2 semanas. 

Fontes:
SOARES, João Castro. Unifesp
Embrapa
www.correiodoestado.com.br
www.plenamulher.com.br

Imagens:
Google imagens

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

O verão e a desidratação

     Aprendemos ainda na idade escolar, que nosso corpo é constituído por cerca de 70% de água, e que esta água é fundamental para nos manter vivos. Mas se a água é tão importante para o nosso organismo, porque damos tão pouca importância a ela? 

     No verão, há uma grande perda de água e sais minerais, principalmente pela pele, através do suor. Sendo assim, as necessidades de repor água no organismo, aumentam. Em tempo de férias escolares, sol, mar ou piscina, fica fácil de passar o dia todo na base da cerveja e dos petiscos, e acaba-se deixando de lado a ingestão de água. Fatores como exposição excessiva ao sol e ingestão de bebidas alcoólicas podem aumentar os riscos de desidratação. A desidratação também pode ocorrer em função de perda excessiva de líquidos, em casos de diarréia e vômitos, comuns no verão. Além disso, mulheres que estão amamentando também podem perder bastante líquido através do leite, devendo manter-se alertas.  
     
Como identificar a desidratação?
- Boca seca, tonturas e enjôos são comuns;
- Com a perda excessiva de água, o volume sanguíneo diminui, aumentando o ritmo dos batimentos cardíacos, ocasionando a chamada taquicardia;
- A pele torna-se escamosa, áspera e rugosa;
- A urina tende a ficar concentrada, com odor e coloração fortes;
- Em um caso de desidratação grave, hipertermia, perda de consciência, convulsões, coma e até a morte.

Como evitar a desidratação?
- Ingerir bastante água, cerca de 2 litros por dia;
- Se estiver praticando esportes, consuma bebidas isotônicas, repositoras de sais minerais - são exemplos as bebidas esportivas, a água de coco e o soro caseiro;
- Se estiver ingerindo bebidas alcoólicas, ingira 200 ml de água após cada copo de cerveja, por exemplo. Este comportamento, evitará a desidratação e a ressaca no dia seguinte;
- Evite se expor ao sol entre as 11:00h e as 16:00h. Neste período de sol intenso, o corpo perderá mais líquidos e as chances de uma desidratação aumenta; 
- Faça refeições leves, evite o excesso de gorduras e frituras;
- Aumente a ingestão de frutas, principalmente as que contém maior quantidade de líquidos, como melão, melancia, laranja, abacaxi, etc;

Receita do Soro caseiro:
- 200ml de água filtrada ou fervida;
- 1 colher de chá de açúcar
- 1/2 colher de café de sal refinado


Karina Rigo
Crn8-5355


Imagens:
Google imagens